A produção de carne a partir da pecuária não é sustentável.

É cada vez maior a conscientização sobre os impactos ambientais negativos da pecuária e as situações de maus tratos aos animais na cadeia produtiva. Só no Brasil, a procura por análogos de carne à base de vegetais cresceu 42,7% nos últimos cinco anos e já corresponde a um mercado de US$ 28 bilhões (Euromonitor International, 2019). Para a produção destes análogos de carne, a impressão 3D pode trazer vantagens, que são a mimetização da estrutura tridimensional, da textura e da aparência das carnes naturais. 

Ativo 11_2x.png

Outra frente da bioimpressão alimentícia considera a utilização de células animais replicadas em laboratório para dar origem a carnes com sabor, aparência e textura mais similares às naturais, que atraia a parcela do público que concorda em não se abster do consumo de proteína animal, desde que isso não implique em sacrifício de animais, ou que seja feito com impacto ambiental reduzido.

bife prato_edited.jpg
novo logo gota.png

Para todas estas frentes de pesquisa e desenvolvimento, a BioEdTech pode trazer soluções de plataformas 3D, agregando inovação em seu projeto.