Pesquisador brasileiro faz bioimpressão 3D in situ de curativos cutâneos

Nos últimos anos, a bioimpressão 3D tem sido utilizada como uma ferramenta para o reparo tecidual, sendo que sua utilização em tratamento de úlceras cutâneas é um dos ramos mais avançados da técnica aplicada à medicina regenerativa, principalmente em casos de pacientes diabéticos ou debilitados por outras feridas crônicas, onde o próprio corpo não consegue promover a regeneração adequada do tecido. Assim, a utilização da bioimpressão 3D, associado a biomateriais bioativos, conseguem promover a liberação de fatores de crescimento que auxiliam a regeneração do tecido.


Diante disso, o pesquisador e mestre Caetano Ribeiro, orientado pelo Prof. Dr. João Tadeu Ribeiro-Paes, desenvolveu um biocurativo personalizado a partir da reconstrução de feridas virtuais por fotometria, uma técnica de reprodução de estrutura tridimensional utilizando a combinação de fotografias em movimento. Caetano é mestre pela Faculdade de Ciências e Letras de Assis da Universidade Estadual Paulista (UNESP) e teve como objetivo de seu projeto a produção do curativo acessível de plasma rico em plaquetas, alginato de sódio e gelatina utilizando a bioimpressão 3D in situ.


Curativo personalizado bioimpresso com o modelo Bioender de Bioimpressora, desenvolvido exclusivamente pela Bioedtech

[Fonte: Ms. Caetano Ribeiro]


A bioimpressão 3D in situ é uma abordagem que deposita o biomaterial diretamente no local anatômico de interesse, permitindo, assim, a produção personalizada do constructo. Enquanto as técnicas convencionais de bioimpressão utilizam, geralmente, uma base plana, a bioimpressão in situ envolve superfícies irregulares e geometrias complexas para reconstruir e reparar tecidos danificados. Portanto, uma das dificuldades da bioimpressão in situ é a construção da modelagem digital que essa técnica exige.


Modelagem digital de feridas cutâneas

[Fonte: Ms. Caetano Ribeiro]




Pensando nisso, Caetano utilizou a modelagem digital por fotogrametria, a partir de imagens capturadas por meio de fotografias pela câmera de um celular. Utilizando reconhecimento digital e alinhamento de pontos comuns, as imagens foram processadas em modelos tridimensionais criando nuvens densas de pontos de intersecção das imagens para gerar um modelo virtual que visava mimetizar a morfologia das úlceras.


Nuvens de pontos de intersecção das imagens que geraram o modelo virtual

[Fonte: Ms. Caetano Ribeiro]



O modelo de bioimpressora utilizada no estudo:

Modelo Bioender desenvolvida pela BioEdTech foi utilizada para a produção do curativo cutâneo [Fonte: Ms. Caetano Ribeiro]



Você sabia que o modelo de Bioimpressora utilizada neste estudo foi desenvolvida pela BioEdTech? Chamada de Bioender, essa máquina caracteriza-se por ser uma Bioimpressora de extrusão simples e baixo custo.

O seu tamanho compacto e sua interface amigável colaboram para que pessoas com diferentes backgrounds e que nunca tiveram experiência na área de Bioimpressão possam utilizá-la sem medo!

Atualmente, esse é o modelo mais vendido da BioEdTech, já tendo participado dos mais diferentes projetos, eventos e cursos, desde engenharia tecidual a cosméticos, para a área farmacêutica e alimentícia também!

Ela se diferencia por ser um dos modelos mais baratos de todo o mercado brasileiro e internacional!

Ficou curioso e quer uma cotação? Visite a aba Bioimpressoras para conhecer mais sobre o modelo ou entrar em contato conosco pelo formulário da página!



 

Conheça um pouco mais sobre o Ms. Caetano Ribeiro:

Bacharel em Engenharia Biotecnológica e mestre no Programa de Pós-graduação em Biociências pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) - Faculdade de Ciências e Letras de Assis (FCL). Atualmente desenvolve pesquisa científica nas áreas de Medicina Regenerativa e Engenharia Tecidual (TERM), utilizando tecnologias de Manufatura Aditiva (AM) - Impressão 3D no estabelecimento de curativos biológicos personalizados associados a componentes bioativos para aplicação na otimização do processo de regeneração de úlceras cutâneas junto ao Laboratório de Genética e Terapia Celular (GenTe Cel) da mesma instituição de ensino coordenado pelo Prof. Dr. João Tadeu Ribeiro-Paes.






 

Fonte: RIBEIRO, Caetano Pedro Evangelista. Estabelecimento de um processo biotecnológico com emprego de manufatura aditiva para produção de biocurativos poliméricos associados a Plasma Rico em Plaquetas (PRP) definidos morfologicamente a partir de escaneamento de feridas cutâneas virtuais. 2021. 154 f. Dissertação (Mestrado em Biociências) – Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras, Assis, 2021.


101 visualizações0 comentário