top of page

A evolução dos análogos de carne: Um breve histórico

A evolução dos análogos de carne [Imagem: ingredientsnetwork.com/]
A evolução dos análogos de carne [Imagem: ingredientsnetwork.com/]

Os análogos de carne são alimentos com sabor, aparência e textura similares as carnes (como as bovinas, suínas, frango e de peixes). O seu valor nutricional pode ser aproximadamente igual - ou até mesmo maior que - ao do alimento cárneo relacionado.


Os análogos de carne estão se tornando cada vez mais relevantes devido aos seus potenciais impactos positivos na saúde humana, no meio ambiente e na ética animal. No entanto, não é de hoje que exemplos de análogos podem ser encontrados na prateleira de mercados e na mesa do consumidor. Destacamos abaixo uma breve cronologia dos marcos desses substitutos no decorrer dos anos até o momento atual:


1960 - 1980: O conceito de análogos de carne começa a surgir, com produtos iniciais como proteína vegetal texturizada e Seitan (glúten de trigo) sendo desenvolvidos como alternativas à carne.


Seitan, um análogo de carne produzido a partir de glúten de trigo [Fonte:seitansociety.com]
Seitan, um análogo de carne produzido a partir de glúten de trigo [Fonte: seitansociety.com]


1990 - 2000: O mercado de análogos de carne começa a crescer, impulsionado por preocupações crescentes com o bem-estar animal, sustentabilidade ambiental e saúde. Produtos à base de soja, como hambúrgueres vegetarianos, tornam-se populares, e novas proteínas à base de plantas, como proteína de ervilha e proteína de arroz, são desenvolvidas.

bk veggie burger [Burger King®]
bk veggie burger [Fonte: Burger King®]



-> Burger King apresenta o BK Veggie Burger. O McDonald's, que já vendia hambúrgueres sem carne animal no Reino Unido, Holanda e Índia ao longo dos anos 90, lança uma versão nos Estados Unidos no ano seguinte.







2000 - 2010: O mercado de análogos de carne continua a se expandir, com novos produtos e inovações como o Beyond Burger da Beyond Meat e o Impossible Burger da Impossible Foods ganhando popularidade generalizada. O uso de proteínas vegetais, em uma ampla gama de produtos alimentícios, incluindo alternativas aos laticínios e substitutos da carne, torna-se cada vez mais comum nas prateleiras.


Impossible Burger [Impossible foods]
Impossible Burger [Fonte: Impossible foods]

2019: O lançamento do primeiro bife à base de plantas impresso em 3D pela startup espanhola NovaMeat mostra o potencial da tecnologia de impressão 3D na produção de análogos de carne. Com a introdução da tecnologia de impressão 3D, os análogos ganham textura, degradabilidade e palatabilidade ainda mais moduláveis e capazes de se aproximarem cada vez mais de uma peça cárnea animal.

Bife plant-based produzido por impressão 3D [Novameat]
Bife plant-based produzido por impressão 3D [Fonte: Novameat]

2019 - 2020:

A pandemia do COVID-19 leva a interrupções nas cadeias de fornecimento de carne e aumenta o interesse por alimentos à base de plantas, impulsionando o crescimento do mercado de análogos de carne.

O mercado de análogos de carne continua a crescer rapidamente, com novos produtos e inovações, como frango à base de vegetais e substitutos de peixe sendo desenvolvidos. O uso da tecnologia de impressão de alimentos para criar produtos análogos de carne mais complexos e personalizáveis ganha força, com empresas como Redefine Meat, NovaMeat e Aleph Farms sendo importantes players.

Nugget feito em laboratório pela empresa EatJust [Fonte: EatJust]
Nugget feito em laboratório pela empresa Eat Just [Fonte: Eat Just]

-> a Singapura fez a sua primeira aprovação regulatória para a produção de nugget de frango feito a base de cultura de células. A carne cultivada em laboratório foi biofabricada pela empresa Eat Just e atualmente é comercializada no restaurante 1880 de Singapura, custando cerca de US$ 17,00.



-> A Beyond Meat e a Impossible Foods continuam a expandir suas linhas de produtos e distribuição, com a Beyond Meat lançando uma nova versão de seu Beyond Burger e a Impossible Foods apresentando carne de porco e linguiça à base de plantas.


-> Redefine Meat revela seu Alt-Steak, um bife à base de plantas impresso em 3D produzido para imitar a textura e o sabor da carne real.


2021: Aleph Farms anuncia o desenvolvimento de um análogo de carne Biompresso em 3D que inclui tecido muscular e gordura, o que pode ajudar a criar produtos de carne à base de plantas mais realistas. A agricultura celular ganha ainda mais força no cenário mundial.


Primeiro bife bioimpresso sem engenharia genética, contendo músculo e gordura similar ao animal [Fonte: ©Aleph Farms]
Primeiro bife bioimpresso sem engenharia genética, contendo músculo e gordura similar ao animal [Fonte: ©Aleph Farms]


No Brasil, a BIOEDTECH se torna pioneira no uso da impressão 3D para a produção de análogos a carne. Atuando como um importante player nacional, a BIOEDTECH passa a desenvolver plataformas de impressão 3D para o ramo alimentício no geral, incluindo desde análogos a carne, nutracêuticos e alimentos para pet.

Análogo de carne produzido por impressão 3D nacional [Fonte: Bioedtech]
Análogo de carne produzido por impressão 3D nacional [Fonte: Bioedtech]

2022: O mercado de análogos de carne continua a crescer, com novos produtos e inovações surgindo em resposta à crescente demanda por escolhas alimentares sustentáveis e éticas. O FDA, agência reguladora ligada ao departamento de saúde do governo norte-americano, concluiu sua primeira consulta pré-comercialização para um alimento humano feito de células animais cultivadas. Esse alimento é produzido a partir de células de frango e está em desenvolvimento pela empresa Upside Foods.


2023: O uso de agricultura celular e carne cultivada em laboratório para criar análogos de carne se torna mais comum, com várias startups e empresas trabalhando para trazer esses produtos ao mercado.


A relevância dos análogos de carne está se tornando cada vez mais clara à medida que as pessoas buscam escolhas alimentares mais saudáveis, sustentáveis e éticas. O tamanho do mercado global de substitutos de carne foi avaliado em US$ 5,41 bilhões em 2021 e deve crescer de US$ 5,88 bilhões em 2022 para US$ 12,30 bilhões em 2029. Esse mesmo mercado, exibe uma taxa de crescimento anual composto de 11,11% durante o período de previsão 2022-2029.

Ficou interessado no tema e quer saber mais? Acesse a nossa plataforma EAD e tenha acesso a conteúdos exclusivo sobre esse e muitos outros temas!


REFERÊNCIAS

Meat substitutes - past, present, and future of products available in Brazil: changes in the nutritional profile": https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2666833522000211




 
SOBRE O AUTOR

282 visualizações0 comentário

Opmerkingen


bottom of page